Eventos

Maior fazenda orgânica de acerola do mundo fica no Brasil

A fazenda adota manejos voltados para a agricultura biodinâmica, que mescla conhecimentos químicos, geológicos e astronômicos


Fica em terras brasileiras a maior fazenda orgânica do mundo de produção de acerola. A Fazenda Amway Nutrilite está localizada em Ubajara, no Ceará, e os números impressionam. Toda a produção é realizada de maneira orgânica, garantida por meio de continuo investimento em Pesquisa e Desenvolvimento para que os produtos sigam um rigoroso padrão de qualidade reconhecido internacionalmente. 

São 1.300 hectares e mais de 200.000 pés de acerolas, que produzem 10.000 toneladas de acerola orgânica; 50.000 mudas produzidas ao ano em um viveiro de 42 hectares; 112 produtores integrados; 280 empregos diretos. A capacidade de processamento da fruta é de 15.000 toneladas ao ano e 1.200 tonelada de processamento de pó.  

O Brasil concentra 90 variedades de acerola ou 95% do que há no mundo. O cultivo de acerolas teve um forte crescimento nos últimos 20 anos, sendo hoje uma importante cultura principalmente para a economia da região Nordeste. Também deu forte impulso para a agroindústria. 

Para ser orgânico o produto deve ser cultivado em um ambiente que considere a sustentabilidade não só no aspecto produtivo como no social, ambiental e econômico. Isso demanda investimento em processos, nos trabalhadores da fazenda, suas famílias e entorno.  A fazenda adota manejos voltados para a agricultura biodinâmica, que mescla conhecimentos químicos, geológicos e astronômicos. 

Um desses passos inclui o uso de matéria orgânica no solo para a menor liberação de gás carbônico e proteger de erosões. Em média são usadas 3.000 toneladas de compostagem e biofertilizantes por ano, tudo certificado. 

Em Ubajara, foram usados sistemas de irrigação por gotejamento, que têm como vantagens o baixo consumo de energia, de água e alta eficiência na aplicação. Além disso, o sistema foi aproveitado para fertirrigação. Houve uma economia de água de 70% em relação ao pivô. O pivô central, porém, não foi abandonado e sim adaptado. Este tipo de irrigação é feito por meio de uma torre, com uma estrutura suspensa que gira de forma circular para a parte superior da plantação. As torres podem se mover por meio de dispositivos eletrônicos.  

Também foram criadas máquinas para oportunizar a colheita mecanizada da acerola, que reduz os custos de produção, evita o desperdício e libera a lavoura mais cedo para nova florada. Não havia no Brasil registros de colheita mecanizada para a fruta. 

A fábrica pode produzir polpa, concentrado líquido e pó de acerola, em ordem crescente de concentração de vitamina C. Para produzir 1 kg de concentrado líquido de acerola são necessários 4,9 kg de fruta e 1 kg de concentrado em pó exige 15 kg de fruta. De lá sai 1.200 tonelada de vitamina C que servem como insumo. 

O consumo da vitamina C é algo que afeta a saúde. Para garantir que o produto ingerido seja extremamente puro e seguro, todas as fases da produção passam pelos mais rígidos controles. Não é diferente no processamento final, onde o pó de acerola sai com uma concentração de até 22%, sem precedentes no mercado mundial. 

Veja vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=M3WUSAwHQBM&t=324s 

A rastreabilidade permite identificar de onde vêm os ingredientes usados para fazer os suplementos, sejam eles provenientes da Fazenda Nutrilite ou dos fornecedores integrados. São 8.000 toneladas de acerolas processadas anualmente destinadas ao mercado internacional. Estados Unidos e China são os principais destinos da matéria prima que, posteriormente, ganha o mundo em forma de suplementos e vitaminas e alguns produtos cosméticos. *Agrolink, Amway Nutrilite 

Comments