Notícias do Pomar

Como plantar figo: conheça tudo sobre essa fruta deliciosa

Os agricultores propositalmente deixam crescer apenas as figueiras mais altas e que dão mais frutos e são dessas árvores que os galhos são retirados


De aparência e sabor inigualáveis, a figueira é uma árvore muito apreciada no Brasil e por todo mundo pelos seus frutos: o figo. Um broto de tamanho pequeno e de cores variáveis, passando do verde da maturação para um vermelho ou mesmo um roxo na fase adulta, esse fruto é um dos mais procurados do mercado, fazendo seu valor aumentar, principalmente fora de época.

Por isso, separamos para você um artigo voltado especialmente para falar não apenas sobre curiosidades desse alimento, mas também como você pode ter um em casa. É possível ter um figo no meu jardim? Quais os cuidados que devo ter? Se você já se perguntou isso, chegou a hora de deixar as dúvidas de lado e passar para a parte mais gostosa: plantar, cuidar e colher seus próprios figos. Confira!

Como plantar e cuidar do pé de figo - Nada é impossível para quem tem vontade o bastante. Porém, por se tratar de uma planta que não é originária do Brasil, plantar um figo requer uma atenção especial em relação ao solo, ao adubo utilizado e mesmo em relação à rega semanal. Isso porque estamos acostumados às árvores daqui e tendemos a acreditar que as frutas necessitam sempre dos mesmos cuidados.

Veja agora quais os principais cuidados que você necessita para ter uma figueira em casa! *Como fazer mudas do figo - O plantio da figueira é feito principalmente pelo sistema de estaquia, isto é, planta-se diretamente uma parte do galho de uma figueira antiga para gerar uma nova. Essa técnica de jardinagem adianta o processo para se conseguir uma árvore saudável mais rapidamente. Então, se você dispuser de uma figueira por perto, aguarde a época de poda, de maio a novembro, para retirar alguns galhos e seguir o seguinte método:
Após retirar os galhos, retire também todas as folhas. Deixa a base do galho tocando na água do dia para a noite e, quando amanhecer, já é possível colocá-lo na terra. Observe bem os brotos do galho, aquelas fissuras de onde as folhas saem. O ideal é que o galho tenha ao menos 5 brotos desse, 3 abaixo da terra e 2 acima. É por esses espaços que o galho criará raízes para crescer forte e vistoso.
Porém, se você não dispuser de uma figueira por perto, também é possível comprar o figo in natura e plantar suas sementes em terra úmida. Elas levarão de 30 a 90 dias para germinar. *Posso plantar figo em vasos? - Tanto para o método da estaquia quanto para o plantio das sementes, a indicação dos especialistas é plantar primeiramente em vaso e passar para o solo apenas quando a árvore já atingir um tamanho médio, com o caule mais largo. Porém, é também possível plantar a figueira em vasos e deixá-la em casa, gerando, além dos frutos, uma linda decoração e um cheiro agradável de figo que emana das folhas.
Mas para isso tome cuidado: a figueira é uma árvore de raízes fortes, de padrão radial. Isto significa que as raízes serão em parte superficiais, se alastrando em formato de círculo em volta da planta, podendo ser vistas saindo acima da terra.
Outra parte das raízes crescerá na vertical, indo no sentido contrário em que a figueira cresce, ou seja, diretamente para baixo. Portanto, mantenha essa imagem em mente quando for adquirir um vaso, que necessita de ser grande e forte para as raízes do figo.

*Plantio por semente ou muda? - Como já foi abordado, é possível os dois. Porém, como as sementes demoram muito, até 90 dias só para germinarem, e a partir daí ainda terão de crescer muito até atingirem o estágio de uma árvore adulta, os principais agricultores do figo optam pelo método de estaquia para fazerem suas mudas, o que se dá pelo fato de que os galhos utilizados já são provenientes de uma árvore saudável.
Os agricultores propositalmente deixam crescer apenas as figueiras mais altas e que dão mais frutos e são dessas árvores que os galhos são retirados. Quando plantamos sementes, há um crescimento desigual - umas germinam antes, outras depois, umas se mostram plantas fortes e bem desenvolvidas, outras nem tanto, etc. Por isso, o método por estaquia é bem difundido.
Além disso, na poda do figo há galhos em abundância, pois o período de hibernação do figo requer que apenas poucos galhos permaneçam na árvore durante o inverno, o que colabora para a propagação da planta por estaquia.

Iluminação ideal para o figo - Nesse aspecto não há divergências, o figo gosta de sol. Se você colocá-lo em um lugar com pouca ou meia-sombra, verá que ele rapidamente se desenvolverá para áreas de maior luminosidade. Por isso, quando a planta estiver por volta de 1 ano de idade, o ideal é deixá-la em um ambiente bem iluminado. Quanto mais sol, maiores e mais suculentos serão os seus figos!
Porém, há de se tomar cuidado com o sol no período de confecção das mudas. Seja por sementes, seja com galhos, opte por deixá-la, nessa "primeira infância" da planta, em locais de luminosidade indireta. Por exemplo, uma varanda em que o sol incida, mas por reflexos. Nunca deixe as mudas de figueira na sombra completa, pois ela não se desenvolverá.

Temperatura ideal para figo - Os maiores produtores e exportadores de figo são os países mediterrâneos, em especial a Turquia e o Egito. Portanto, tenha sempre em mente o clima desses países para ter uma boa noção de como cuidar da sua figueira. A planta tolera temperaturas de até 35 a 42ºC, por exemplo, então não se preocupe em retirar o seu vaso de figueira do sol em dias muito quentes.
Inclusive, nas regiões quentes, as safras são maiores e os figos, mais doces. Mas se você mora em um local em que o clima é um pouco mais amenos e deseja plantar para consumo próprio, seu e de sua família, isso não vai importar tanto, será possível mesmo assim plantar uma figueira e ter figos em abundância se você cuidar bem da sua árvore.

Rega ideal para o figo - Como o Brasil não é o país de origem da figueira, o clima aqui pode alterar um pouco a forma de cuidar da sua planta. Isso porque, no mediterrâneo, há bastante sol como aqui, mas a umidade do ar é menor e o volume de chuvas é menos frequente. Dessa forma, será necessário regar a sua figueira com menos quantidade de água, salvo em períodos do ano em que a umidade cair muito.
Uma vez por semana é o suficiente para uma planta adulta. Porém, como as raízes da figueira são superficiais, veja se o solo está muito seco. Caso haja 2,5 centímetros de solo seco, aumente a quantidade para duas vezes por semana. Isso fará com que seus frutos sejam mais doces.

Solo ideal para figo - Os solos mais indicados para o plantio da figueira é o areno-argiloso, típico dos países mediterrâneos. Eles são bem drenados e com um teor alto de matéria orgânica. Para quem gosta de informações mais técnicas e tem a capacidade de medir o pH do solo, busque valores entre 5,6 a 6,8. Caso você vá cultivar a figueira em vasos, é possível adquirir solos com essa característica com uma ida rápida a lojas de floricultura ou mesmo de paisagismo.
Porém, há diversos vídeos ensinando a como preparar esse tipo específico de solo pela internet. A ideia é misturar um pouco de areia com um pouco de argila em um solo rico em matéria orgânica, regando constantemente e deixando essa terra em um terreno de muito sol. Após duas semanas de rega frequente já é possível utilizar essa terra preparada nos seus vasos.

Adubos e substratos - Para que sua figueira dê muitos frutos, além dos cuidados mais usuais como rega, a iluminação e o solo, é preciso também investir em um adubo de qualidade, de modo a fornecer os nutrientes que o seu figo necessita para crescer vistoso. Isso ajudará principalmente sua figueira a desenvolver galhos mais longos pelos quais o figo se espalhará. Por isso, invista em um adubo rico em húmus de minhoca. É possível ainda adicionar na mistura esterco de curral curtido por ao menos 2 meses, além de esterco de galinha curtido por ao menos 1 mês. Nunca utilize o esterco recente pois o seu pH é muito ácido e não é recomendado para a maioria das plantas, sendo prejudicial para a figueira e fazendo os figos ficarem pequenos ou amargos.

Um tipo diferente de floração - Na escola, aprendemos que as árvores germinam, criam raízes e galhos, folhas e flores e que essas flores se tornam os frutos que comemos. Porém, as figueiras não florescem como as outras frutas como o limão, a amora ou a macieira.
Isso porque essa árvore primeiro cria uma vagem, que nada mais é do que uma proteção, em formato de pera. E é dentro dessa vagem que a flor da figueira cresce. Após isso, há a sua maturação e daí vem o figo que conhecemos.

Manutenção do pé de figo - A manutenção da sua figueira em vaso requer muita atenção, pois há diversas circunstâncias mais suscetíveis a atingir a planta em vaso em relação ao pés de figo plantados diretamente no solo. Isso porque, com suas raízes limitadas, ela tende a crescer um pouco menos. Além disso, a planta tende a sofrer mais com o excesso de água, já que toda a quantidade fica no fundo do vaso antes de evaporar.
Portanto, nada de muita água, já que isso pode fazer com que as raízes apodreçam. Fora isso, não há com o que se preocupar. A figueira é uma planta forte que se adaptou bem no Brasil, sendo produzida comercialmente, por exemplo, em Poços de Caldas, Minas Gerais. Assim, não tenha medo de investir nessa árvore no seu jardim. Poda para figo - A figueira, assim como os ursos, também hiberna. Essa característica é comum em muitas árvores, que em períodos de frio deixam cair suas folhas e cessam a produção de frutos. Nesse momento, a figueira guarda todas as suas energias para si, no interior do seu tronco, para se alimentar enquanto o calor que ela tanto gosta não retorna. Aqui no Brasil é durante esse período que devemos fazer a poda, mais especificamente entre os meses de julho e agosto. Isso porque a retirada dos galhos fará com que a figueira tenha menos esforço para sobreviver ao frio, de modo a guardar sua energia para alimentar trechos menores da sua extensão. Assim, pode todos os galhos mais finos e mais novos, principalmente os que crescem na base do tronco principal - esses galhos tiram a força da árvore.

Pragas e doenças comuns - A figueira é uma árvore mediterrânea que se acostumou ao clima e às pragas daquela região. Portanto, ao ser transportada para o Brasil e conhecendo as pragas daqui, a figueira fica um tanto quanto sem defesas naturais para elas. Assim, é preciso verificar com frequência se não há invasores na sua plantação.
No nosso país, os maiores inimigos da figueira são as cochinilhas brancas e as lagartas. Caso o seu plantio seja em vaso, é ainda mais fácil cuidar delas. Faça uma solução com um pouco de vinagre, um pouco de detergente e complete com água. Borrife essa solução nas folhas e nos troncos e rapidamente retire a árvore do sol.
Aguarde toda a noite e, ao amanhecer, borrife novamente apenas a água, a fim de lavar a solução colocada na árvore. Repita o processo ao menos duas vezes por mês para garantir que sua figueira nunca fique doente ou seja atacada por invasores.

Propagação do figo - A figueira se reproduz por via sexuada, por suas sementes, ou por via assexuada, por meio de estaquias. Apesar das abelhas e dos pássaros do Brasil serem adeptos do figo, no país há a ausência da vespa polinizadora natural dessa árvore. Esse fato faz com que a propagação natural do figo via sementes seja inviável, então se você deseja propagar sua planta, utilize as técnicas que ensinamos anteriormente.

Conheça o ciclo de vida da figueira - Tudo na vida há um início, meio e fim. Assim também é a figueira, uma planta perene, mas que produz seus frutos num período relativamente curto de sua vida. Isso acontece porque, apesar de ser uma árvore capaz de viver várias décadas, a figueira só começa a produzir frutos após um ano de idade, e realiza essa atividade com abundância por cerca de 8 ou 10 anos após a primeira colheita, período em que a árvore cai de produção.
Por isso, é recomendável que após determinado tempo se retire os galhos no período de poda para criar mudas novas de figueira, garantindo assim frutos em abundância durante toda a vida.

Conheça o figo e suas variações - No Brasil, a variedade de figo mais conhecida é o figo roxo. Isso porque foi a variedade que melhor se acostumou com o solo local, sendo fácil de manusear e, portanto, agradando os produtores locais. Porém, há ainda diversas variantes dessa fruta. Saiba sobre cada uma delas abaixo!

*Lampo Branco - Algumas figueiras produzem, na mesma árvore, tipos diferentes de figos. Isso se dá por uma especificidade da planta, mas é bastante aparente: a diferença está no local e na coloração do fruto.
Os "figos lampos" amadurecem em junho e cessam sua maturação durante o inverno. Disso, decorre que alguns desses frutos amadurecem sem se "transformarem" completamente nos figos da coloração que conhecemos. O figo lampo branco, por exemplo, tem sua maturação quase imperceptível, dado que se mantém um pouco esverdeado; *Lampo Preto - Já os figos de lampo preto são bastante característicos por sua coloração forte e bem roxa. Essa variedade cresce em específico na madeira que fica logo embaixo de uma folha da figueira, não sendo encontrado em outros lugares do galho. O lampo preto é muito maior que o branco e tem sua maturação nos meses de agosto, pois permanece amadurecendo mesmo nos meses de inverno mais frio; *Bebera Branca - Os figos bebera branca são frutos de grande calibre, alcançando até mesmo a marca de 18 figos por quilo. Sendo de tamanho tão avantajado, sua poupa é doce e suculenta e sua maturação se dá pelos meses de agosto, em especial na 2ª quinzena; *Bebera Preta - Muito parecidos com os figos bebera branca, os figos bebera preta são igualmente vistosos e grandes. Porém, sua epiderme é de um roxo mais escuro e sua maturação se dá já no início de setembro. Essa variedade é vista principalmente em regiões em que o inverno mais rigoroso se alonga para além do mês de agosto.  

*Burjassote Branca - Os figos burjassote branca são pouco vistos no Brasil, fato que eleva um pouco seu valor comercial. Com uma coloração verde-amarelada, essa variação tem uma polpa bastante rosada e suculenta. Os burjassote branca podem alcançar 22 figos por quilograma, sendo considerados de bom calibre. Sua maturação se dá principalmente na 2ª quinzena de agosto; *Vindimo - Os figos-vindimo se diferenciam ainda entre vindimo branco e vindimo preto e são uma variedade comumente encontrava nas regiões do nordeste do país. Esse tipo de figo apresenta maturação entre os meses de julho e setembro e são comumente apreciados frescos. De coloração característica, os figos-vindimo são ótimos também para criação de bebidas, como álcool e licores, dado que tem uma quantidade menor de água em seu interior. Isso também dificulta seu apodrecimento; *Rei Branco - Essa é a variedade de figo mais consumida nas regiões exportadoras, como Turquia e Egito. São variedades de grande valor agregado, que se diferenciam das demais pela coloração chamativa e seu tamanho avantajado. o figo rei branco tem sua maturação entre os meses de inverno e pode alcançar 16 figos por quilo; *Rei Preto - Já o rei preto é também apreciado no Brasil, em especial na região norte, pois lá o volume de água constante proveniente das chuvas auxilia a deixar esse fruto mais suculento e doce. De coloração de um roxo-avermelhado, o rei preto pode ser utilizado para compotas, mas também é servido fresco. Essa variedade tem sua maturação entre os meses de setembro, mas em regiões em que o inverno não é tão vigoroso. Isso faz com que a figueira não deixe de receber uma boa quantidade de luz durante o mês de agosto, gerando figos de uma maturação mais desenvolvida; *Pingo de mel - A variedade do figo pingo de mel diz respeito a um fruto piriforme e de bom calibre, sendo um pouco menor que os demais. Esse figo tem uma coloração um pouco mais esverdeada ou mesmo amarela, sendo até mesmo confundido com outras frutas típicas do Brasil. O pingo de mel pode alcançar 23 figos por quilograma e, como o nome diz, apresenta uma polpa muito doce e suculenta, ideal para confecção de doces de figo ou mesmo de compotas. Sua maturação se dá na 1ª quinzena de agosto; *Branco Regional - O figo branco regional é típico da Turquia e bastante difundido no Brasil, principalmente em regiões áridas ou de chuva pouco frequente. Sendo um fruto de pele fina, sua aparência lembra o figo de lampo branco, mas são menos doces e têm uma polpa menos suculenta. Na Turquia, essa variedade é ainda utilizada para confecção de um tipo de purê ou ainda para obtenção de um vinho típico muito apreciado pelo mediterrâneo.

Curiosidades sobre o figo - Uma árvore milenar e amplamente conhecida desde os primórdios da humanidade, a figueira adquiriu diversos significados e representações na História. Desde significados bíblicos, passando pela obtenção de álcool e até mesmo de doces típicos, a presença da figueira em diversas culturas antigas, como a egípcia e a hebraica, fazem essa árvore e esse fruto serem dotados de muito significado. Pensando nisso, separamos algumas curiosidades sobre a figueira para você ficar por dentro, leia a seguir!

Figueira é uma planta bíblica - Originária do mediterrâneo, a figueira logo espalhou-se também pela região do Oriente-próximo, chegando a partes dessa região que os hebreus ocupavam originalmente, ou ao menos nos tempos em que a Bíblia foi escrita. Isso dotou essa árvore de alguns significados religiosos específicos, sendo até mesmo uma referência metafórica para a terra de Israel.
Isso porque, como abordamos acima, a figueira é uma árvore que vive por décadas, porém, sua frutificação não perdura ou ao menos não se mantém no mesmo nível por todo esse período. Assim, ela produz frutos em abundância por determinado período e depois cai de produção.
Essas características fizeram com que o povo hebreu se identificasse em certo momento de sua história e, em tom de crítica, a figura da figueira é remetida ao povo de Israel em um período em que os sacerdotes julgavam que os hebreus, apesar de um povo antigo e que há muito tempo perduraram, atravessando muitas dificuldades, já estavam menos religiosos ou devotos que antes, produzindo poucos "frutos" para Deus.

Um dos doces favoritos de Dom Pedro I - Sendo Portugal uma região próxima do mediterrâneo, a figueira chegou primeiramente lá, sendo transferida e cultivada no Brasil ainda no período da colonização portuguesa. Por ser uma fruta de valor elevado era apreciada pelos membros da coroa e assim, quando Dom Pedro I se torna o primeiro Imperador do Brasil, traz consigo também os gostos dessa aristocracia. O figo, portanto, era um dos doces preferidos da alteza no Brasil.

Compotas de figo, um doce tradicional - Um doce muito comum no Egito e na Europa mediterrânea, a compota de figo é basicamente uma mistura de figo com açúcar, além de especiarias da região, como canela e cravo-da-índia. Para fazer essa receita, ferva os figos e depois congele por 24 horas - isso fará com que fique mais fácil retirar as cascas, que soltam um leite que corrói a pele.
Após isso, coloque os figos numa panela e despeje água e açúcar em partes iguais, até criar uma calda. Com o tempo o figo ficará mais macio a ponto de partir apenas com o movimento da colher, esse é o ponto. Insira então o figo em um pote e guarda na geladeira. Aguarde ao menos uma semana para comer.

Valor nutricional do figo (cru, em calda, seco e compota) - O figo maduro in natura tem em média 4kcal por unidade, além de 1g de proteína e 10,2 de carboidratos. A sua casca ainda proporciona 1,8 g de fibra. Já sobre o figo seco, em duas unidades do fruto estão presentes 120kcal, além de 32g de carboidratos e 1,7g de proteínas. A fibra alimentar é no valor de 5g.
O que mais destoa é o figo em calda, que contém 77g de carboidratos e apenas 0,7g de proteínas, além de 1,3mg de fibra alimentar. Portanto, apesar de delicioso, deixe-o para ocasiões especiais e prefira o consumo in natura ou seco.

Figo-da-índia também é figo? - Apesar do nome, o figo-da-índia não é uma planta da mesma espécie da figueira, e muito menos uma variedade do figo tradicional. Proveniente do norte do México e do Sudoeste dos Estados Unidos, esse fruto é na verdade um tipo de cacto, se assemelhando mais ao que no Brasil chamamos de pitaya.

Como plantar figo: prepare-se para saborear essa fruta maravilhosa! - Como você viu, o figo tem diversos significados, mas o melhor deles é ser um alimento delicioso e prático no consumo e no preparo. Apesar de não ser nativo do Brasil e nem das Américas, essa planta se adaptou bem ao nosso clima e com alguns cuidados especiais pode ser cultivada em todo país, seja em vasos ou na terra.
Uma árvore milenar, o figo possui diversas variedades, todos deliciosos e que podem ser muito bem apreciados, seja in natura numa salada ou como sobremesa em forma de maravilhosas compotas. Além dos frutos gostosos, a planta também é uma beleza e tem um cheiro encantador, que com certeza agradará todos em sua casa.
Agora que você já conhece cada um dos tipos de figo e todos os cuidados para se ter um em casa, que tal cultivar o seu? Não se esqueça de utilizar nossas dicas e com certeza você terá sucesso nessa empreitada! *https://portalvidalivre.com/  

 

Comments