Notícias do Pomar

Aprenda a construir uma unidade portátil de produção de biofertilizantes

A unidade é construída a partir de uma bombona plástica de 200 litros, uma bomba de máquina de lavar roupas, canos e conexões de PVC


Biofertilizantes são tudo de bom. Não são tóxicos às plantas, têm baixo custo de produção, podem atuar sobre doenças de plantas, são fontes de nutrientes e melhoram o solo, entre outras vantagens. Por isso estamos divulgando publicação da Epagri, disponível para livre download, que ensina a fazer uma uma unidade portátil de produção de biofertilizantes

A Estação Experimental da Epagri em Itajaí acaba de lançar uma cartilha mostrando o passo a passo para a construção de unidade portátil de produção de biofertilizantes.  O biofertilizante é um subproduto obtido a partir da fermentação de resíduos da lavoura que pode ser usado como adubo e também como defensivo agrícola, erradicando pragas, doenças e insetos. A publicação está disponível para download gratuito no site da Epagri.

O uso de biofertilizante aeróbico na produção de hortaliças integra as práticas de manejo de produção orgânica, baseado nas normas oficiais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.  Para que os produtores rurais catarinenses possam produzi-lo na propriedade, o Projeto Hortaliças da Estação Experimental da Epagri em Itajaí desenvolveu a unidade portátil de produção.

A unidade é construída a partir de uma bombona plástica de 200 litros, uma bomba de máquina de lavar roupas, canos e conexões de PVC. O custo total não chega a R$500,00. A cartilha traz a lista de todos os materiais que devem ser adquiridos, explica como fazer a montagem da unidade, como preparar e aplicar o biofertilizante e como limpar o sistema.

A Epagri recomenda o uso de biofertilizantes aeróbicos devido aos seguintes benefícios: são de baixo custo de produção, são formulados com poucos insumos e que são facilmente encontrados, são de fácil produção e aplicação, podem atuar sobre doenças de plantas, são fontes de nutrientes, atuam para melhoria do solo e nas doses recomendadas não são tóxicos às plantas.  Acesse cartilha aqui.

*Gisele Dias/Epagri

  

Comments